quarta-feira, 29 de maio de 2013

pablo & os filmes: Coluna Innovare - Parte 4: Eduardo e Mônica

“Quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?”


                Vamos inovar um pouco –  Com o lançamento de Faroeste Caboclo na próxima sexta usamos outra música cinematográfica do Legião Urbana, Eduardo e Mônica, lançada em Junho de 1986, é certamente uma das mais famosas canções da banda brasiliense, já foi adaptada para uma peça teatral, uma campanha publicitária de uma operadora de telefonia em 2011 e agora servirá para a coluna Innovare.
                E pra inovar com estilo, escalei um elenco brazuca, começando pela direção do multi talento Selton Mello, com seu maravilhoso longa O Palhaço, 2011 – ele conta com a sensibilidade necessária para essa improvável linda história de amor escrita por Renato Russo. Dirigiu a série Sessão de Terapia, do canal GNT.

                Cara de moleque e talento de qualidade? Aposto em Bruno Gagliasso como Eduardo, carreira curta de cinema, maior destaque em participações nas novelas Globais, porém poderá surpreender na comédia romântica Mato Sem Cachorro, com lançamento para julho deste ano, pelo menos, o trailer diverte. Para menina descolada fã de Caetano e Godard, Guta Stresser – a Bebel do seriado e filme A Grande Família, a moça demonstrou talento de sobra no filme Nina, 2004 e esteve em mais algumas produções nacionais, daria conta do recado sem sombra de dúvida.
                Para as outras participações como o “Cara do cursinho” o jovem Kayky Brito seria minha opção. Gente esquisita da festa? A fantástica Grace Gianoukas, do Terça Insana – para quem não assistiu, corre pro You Tube, é muito bom, pra rir sem parar. De avô parceiro de jogos de futebol de botão o maravilhoso Paulo José, que certo conta com a maior carreira cinematográfica de todas minhas escolhas, atuou em mais ou menos umas 90 produções, entre novelas, filmes, peças de teatro – é pra fechar com chave de ouro.
                Ia adaptar para um elenco estrangeiro, mas fã de cinema nacional creio que estaríamos bem representados com minhas escolhas. Não sei vocês, mas eu estou ansiosa para Faroeste Caboclo, fica a torcida para que eles possam expressar o que Renato Russo significou para muitas gerações. Pra quem quiser ter uma trilha sonora, segue aí o link da canção “adaptada”.
                Por hoje é só pessoal.
Até a próxima semana.
                Kelly Lima